Dicas de Segurança - Videoporteiro

A área de segurança eletrônica está em constante renovação. Em casos assim, é comum que surjam novidades para aperfeiçoar o que já era bom ou atendia bem às necessidades dos brasileiros. Um exemplo dessa evolução é o videoporteiro. Esse equipamento é uma evolução de outros já conhecidos: o interfone, o porteiro eletrônico e o olho. O que ele faz? Simples: permite ver, ouvir e falar com quem está na porta ou no portão da sua casa ou empresa.

Já tenho um interfone. Devo investir em um videoporteiro?
Sim.
Um interfone (ou porteiro eletrônico) serve para atender chamadas originadas por quem está na porta ou no portão da sua casa sem precisar sair de dentro do imóvel. Mas, infelizmente a quantidade de pessoas mal-intencionadas nas cidades brasileiras tem crescido. Para tentar invadir uma casa, escritório ou empresa, muitos buscam brechas no sistema de segurança e controle de acesso que lhes permitam praticar crimes sem serem percebidos. Uma das técnicas mais comuns é se fazer passar por outra pessoa.

Quando a única forma de contato com a área externa é um canal de voz, você precisa acreditar no que a pessoa diz. Se ela informa ser um amigo ou prestador de serviço e o portão ou a porta são abertos, a situação pode sair do controle. Nestes casos, a conferência de informações pode ajudar (pedindo documentos ou fazendo perguntas-chave), mas não é o método mais seguro.

Com um videoporteiro esse risco já é eliminado no primeiro contato. Esse equipamento possui uma câmera de vídeo na parte que fica fora da residência e ela envia imagens para um módulo interno, que tem uma tela colorida, a partir do momento em que o botão da campainha é apertado. Também há modelos que permitem visualizar o ambiente externo 24 horas por dia na tela interna.

Após atender a chamada, você consegue ouvir e ver tudo o que acontece do lado de fora e observar qualquer movimentação suspeita. Como a câmera fica posicionada na altura do rosto de quem chama, é possível checar se a fisionomia corresponde à identidade alegada por voz e até descobrir se a pessoa está sozinha ou acompanhada. Se estiver tudo certo, basta acionar o comando para a abertura do portão ou da porta e o acesso é concedido.

Preciso fazer muitas adaptações na infraestrutura?
Não.
Os videoporteiros atuais são modernos e permitem o tráfego de voz e imagem por um fio muito fino, semelhante ao usado no porteiro ou no interfone convencional. Isso permite que você utilize a mesma estrutura existente – mantendo, em muitos casos, a mesma furação usada pelo equipamento anterior.


Se estiver chovendo ou for noite, a câmera funciona?
Claro! Os melhores modelos de videoporteiros disponíveis no mercado têm resistência às intempéries e à luz solar, além de contarem com recursos de imagem avançados.


Posso integrar o videoporteiro a outros equipamentos de segurança que já tenho?
Sim!
 Os videoporteiros mais avançados têm até quatro canais de entrada de vídeo e duas saídas para fechaduras. Isso permite abrir dois portões (um da garagem e outro de pedestres, por exemplo) a partir de teclas específicas no módulo interno do aparelho. Também é possível conectar o videoporteiro a um aparelho de TV para ver quem está chamando numa tela grande.


E se eu não estiver em casa?
Os sistemas de videoporteiro mais eficientes possuem a função “Siga-me”, por meio da qual você pode configurar o aparelho para, após uma quantidade determinada de toques, encaminhar a chamada para um telefone celular ou fixo fora do ambiente. Essa função é extremamente útil para coibir a ação de oportunistas que podem tocar a campainha e, ao verem que ninguém atendeu, presumir que não há ninguém em casa. Mais do que isso, essa função também permite que você abra a porta ou o portão à distância, o que é particularmente útil em diversas situações. 

#HMSegurança #Videoporteiro #Interfone #Segurança #Vigilância #Monitoramento #CâmeradeSegurança #Inovação #Tecnologia #Alarme #Proteção #CruzAlta


Mais notícias